Super Técnico


Felipão chegou!

Luís Felipe Scolari foi apresentado oficialmente no Palmeiras.

Não entendi muito a escolha do Felipão, pois acredito que ele ainda tinha mercado na Europa e pros profissionais brasileiros, é de extrema importância que um treinador faça sucesso e abra portas importantes de trabalho.

Com o retorno do Felipão, perdemos força no velho continente.

O desafio no Palmeiras será enorme, porque falta um bom time pra se trabalhar e a torcida é super exigente.

No momento ele disse não à seleção brasileira, mas acredito que será o técnico da Copa 2014. Existem indícios de que a CBF pode contratar um técnico por apenas 2 anos e a partir do terceiro ano, Felipão assumiria para preparar o time da Copa.

O negócio é aguardar, afinal no momento, Felipão é só Palmeiras.

Torço pelo sucesso do Scolari, que além de excelente profissional é um pessoal fantástica!

 



 Escrito por Ricardo Aguiar às 12h01 [] [envie esta mensagem] []






“Toda equipe é um Grupo, mas nem todo grupo é uma Equipe!”

Ouvimos muito falar em “trabalho de grupo”... “trabalho de equipe”... existe sim diferença entre Grupo e Equipe.

No Grupo todos trabalham voltados para os mesmos objetivos e tem seus papéis e funções definidos. Porém os resultados ficam aquém do esperado.

A realidade é que no Grupo, ninguém sabe direito o que o outro pensa porque as pessoas ou não se comunicam ou falam de forma política sem dizer o que realmente pensam. Às vezes alguns falam, mas de forma descontrolada e sem habilidade. É também cada um por si, ninguém toma a iniciativa de ajudar o outro. Aliás, existem muitas divergências relacionadas a problemas do trabalho e também diferenças de valores pessoais.

Em alguns casos essas divergências e problemas de relacionamentos são manifestados, em outras são mascaradas por razões políticas. Há muito fingimento, faz-se de conta que está tudo bem.

Os líderes para se diferenciarem e se afirmarem, procuram manter distância, aparecem somente para dar ordens. Ninguém tem a liberdade nem o clima para dizer o que pensa dos colegas e muito menos dos chefes. Já os chefes falam, às vezes, de forma muito franca e rude, e ninguém nesse ambiente toma a iniciativa para saber como é visto. Pelo contrário, todos são muito defensivos e tendem a sentir o Feedback (é o processo de fornecer dados a uma pessoa ou grupo ajudando-o a melhorar seu desempenho no sentido de atingir seus objetivos) como um ataque.

Grupo é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, em geral se reúnem por afinidades. O respeito e os benefícios psicológicos que os membros encontram, em geral, produzem resultados de aceitáveis a bons. No entanto esse grupo não é uma equipe.

Na Equipe as coisas são um tanto diferentes. Além de ter os seus membros voltados para os mesmos objetivos com papéis e funções bem definidas, possui uma série de fatores positivos que a distinguem do grupo e garantem a obtenção de excelentes resultados com muita sinergia e criatividade.

Na Equipe existe uma transparência muito grande entre todos. Ninguém esconde o jogo. Cada um sabe o que o outro pensa e sente sobre os assuntos do trabalho, mas tudo de forma muito construtiva! Além disso, o nível de mútua colaboração é ótimo, trabalham realmente em um time. Cada um pode contar com o outro que espontaneamente e prazerosamente se dispõe a dar o apoio e ajuda quando necessário.

Nesse ambiente tão bom não quer dizer que não existam conflitos, eles fazem parte do relacionamento humano e se tornam até fator de crescimento se forem trabalhados através do debate conduzido da maneira certa e na hora certa. É isso que acontece na Equipe; as lideranças não são distantes, atuam próximas e em conjunto com todos os seus membros que participam ativamente numa rica interação entre todos, favorecendo assim a criatividade e aumentando o comprometimento mútuo.

Os líderes são suficientemente seguros para não se sentirem ameaçados pelas idéias de valor que venham de baixo. Ninguém pretende sobressair-se isoladamente. Os resultados é que se destacam como em um bom time de futebol, a equipe toda vibra com o gol do colega porque o time todo sai ganhando.

Em função de tudo isso, existe a prática constante do Feedback que é dado de forma transparente, e sobretudo construtiva, com a receptividade de todos. Líderes e liderados dão e recebem Feedback. A comunicação entre todos é ótima e o que é básico, as pessoas se constituem no valor mais importante. Elas se conhecem e se sentem mais profundamente, havendo então muita empatia. Isso aumenta a compreensão mútua e evita os preconceitos e julgamentos superficiais indevidos, assim fica evidente que na equipe, a partir da ótima interação existente, a criatividade, a qualidade e a produtividade são grandes e todos lucram: a “empresa” tem muito mais resultados e os seus membros são muito mais felizes e tem muito mais qualidade de vida no trabalho, o lugar onde se passa a maior parte do tempo acordado.

Trabalhar efetivamente em Equipe compensa para os dois lados: “empresa” e funcionários.

Somente alguém não deve gostar porque sai perdendo com isso: o concorrente!

Equipe é um grupo que compreende seus objetivos e está engajado em alcançá-los de forma compartilhada. A comunicação entre os membros é verdadeira e as opiniões diferentes são estimuladas.

Em uma Equipe:

- Assumem-se riscos

- A Equipe investe constantemente em seu próprio crescimento;

- O grupo transforma-se em Equipe quando passa a prestar atenção à sua própria forma de operar e procura resolver os problemas que afetam o seu funcionamento;

- A formação da Equipe deve considerar as competências individuais necessárias para o desenvolvimento das atividades e o alcance das metas. O respeito aos princípios da Equipe, a interação entre seus membros e especialmente o reconhecimento da interdependência entre seus membros no alcance dos resultados da Equipe, deve favorecer ainda os resultados das outras equipes e da organização como um todo.

É isso que torna o trabalho desse grupo um verdadeiro trabalho em Equipe!

 



 Escrito por Ricardo Aguiar às 13h48 [] [envie esta mensagem] []






Futebol show...ou futebol campeão?

O futebol é interessante porque exige uma constante análise da melhor estratégia de jogo, abrindo um amplo leque de discussão sobre o assunto; “o ataque é a melhor defesa”?

Essa discussão não terá fim, entre os radicais do sistema defensivo e do sistema ofensivo.

O equilíbrio dos setores (defesa, meio de campo e ataque), é primordial, assim como o espírito de equipe é imprescindível para o sucesso ou o fracasso.

A final da Champions League 2010 será disputada entre duas equipes “medianas”, dentro do contexto técnico-tático do futebol europeu, mas que deixaram para trás, outras equipes “brilhantes”, como Chelsea, Manchester United, Real Madrid e o Barcelona, “referência mundial do que é jogar ofensivamente”.

Por outro lado, o exímio exemplar do jogo defensivo, a Internazionale de Milão, vai confirmando a tese do “futebol de resultados”; Pentacampeã italiana e muito próxima de se tornar a melhor equipe da Europa!

O engraçado é que o mesmo encantamento que temos ao ver o ataque do Barcelona e do Santos, por exemplo, sentimos ao ver a defesa da Internazionale nas partidas contra os poderosos Chelsea e Barcelona. O goleiro Júlio César e o zagueiro Lúcio, são as ilustres figuras de uma equipe campeã!

Eu particularmente sou um defensor de que a montagem de uma equipe vencedora, começa pela montagem de um sistema defensivo forte.

Show é bacana, mas se o título ao vier...

O Marcelo Lippi, técnico da Itália foi muito feliz no comentário que fez sobre a seleção brasileira, ao lembrar que quando se o Brasil se preocupou em apenas atacar, não conquistou títulos. Mas a partir do momento em que o Dunga assumiu e deu esse “toque Europeu”, a nossa seleção se tornou a mais vitoriosa do futebol mundial. Para coroar isso, falta apenas a Copa do Mundo!

Mas e se o Brasil perder a Copa? Tudo o que o Brasil conquistou até agora na “era Dunga”, será simplesmente jogado no esquecimento.

Esse é o futebol... todos pedem espetáculo de gols... mas não admitem ficar sem título!

 



 Escrito por Ricardo Aguiar às 13h14 [] [envie esta mensagem] []






Futebol tem que ser pragmático

Acabo de chegar a essa conclusão, depois de ter ouvido tantas críticas ao “futebol moleque” do time do Santos FC.

O clássico contra o Palmeiras, foi maravilhoso e ao final a vitória do Palmeiras (justíssima pelo domínio no 2º tempo e por ter aproveitado melhor as oportunidades), só não teve um brilho maior pelas palavras de algumas pessoas, como o camisa 7 palestrino, que preferiu atacar o futebol atrevido do Santos, à saborear a vitória de sua equipe.

Ninguém gosta de perder, mas a derrota é algo compreensível. Apesar disso, é lamentável ver tantas críticas ao futebol dos santistas, que enchem os olhos de todos que amam o futebol arte.

Porém o chororô e as acusações infundadas, evidenciam que o futebol pragmático, centrado apenas no resultado, que privilegia a forte marcação, os jogadores de grande vigor físico e pouca habilidade agrada muito mais e machuca muito menos esses críticos.

O jovem time do Santos deu um novo sentido ao futebol, sacudiu as tradicionais estruturas conservacionistas que fizeram o futebol arte ser praticamente extinto. Esse time resgatou o romantismo do futebol, a plástica de um belo espetáculo, perdida a tanto tempo.

Porém, após ouvir tanto blá blá blá contra o futebol moleque, a firula, a ousadia, enfim, os ingredientes que tornaram o futebol brasileiro numa marca mundial, desisti desse negócio de jogar bonito. O lance é dar bicão, chegar chegando...com 3 e até 4 volantes...uma linha de 4 defensores...quem sabe...enfim...

Viva o pragmatismo!!!!

 



 Escrito por Ricardo Aguiar às 14h26 [] [envie esta mensagem] []






Que imprensa é essa?

Ouvindo alguns comentaristas desancarem o pau no Corinthians, após a derrota pra Ponte Preta, ñ deu pra me conter diante tanto radicalismo.

Em pleno início de pré-temporada, de campeonato, uma derrota e já questionam o trabalho feito pelo Mano.

Com todo respeito a ex-jogadores comentaristas, muita coisa mudou e cada vez mais o condicionamento físico é imprescindível no futebol mundial.

É humanamente impossível iniciar o ano com todo mundo devidamente condicionado, bem como há uma grande diferença da recuperação física após cada partida, de atleta para atleta e de modalidade para modalidade (aprendi isso com preparadores físicos).

Precisamos ter sim muita paciência, pq a oscilação é normal nesse período.

Equies como o Corinthians, que terá competições acumuladas no mesmo período, ñ pode se arriscar a perder determinados atletas por exigir mais do que o corpo pode dar. O trabalho nesses clubes está dentro do lógico, do racional e do máximo profissionalismo.

O rodízio é fundamental. Claro, se perguntarem, o atleta quer jogar todas, mas ñ pode. Lembro que o rodízio questionado hj após a derrota, foi cobrado qdo o Ronaldo se machucou uma partida antes do clássico contra o Palmeiras. Os mesmo críticos naquela ocasião acusarm o mano de ter errado eme scalar o Ronaldo! Vai entender??

Pelo que acompanho e pelo que acredito, tanto o trabalho e a postura do Corinthians, quanto das outras equipes que estão na Libertadores é acertada na opção de se ter um aumento gradativo da carga de esforço.

O Muricy tem toda razão qdo critica esse tipo d eimprensa, que ao invés de ajudar, acaba atrapalhando. Bom, é só notar, o quanto a imprensa adora polemizar.

Só da pra falar algo, qdo se vive dia a dia, qdo se conhece o grupo, qdo cercado por uma equipe técnica multidisciplinar se busca entender um pouso além das quatro linhas.

Mas vida de técnico é assim mesmo; herói um dia, vilão no outro.

__________________________________________________________________



 Escrito por Ricardo Aguiar às 14h22 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 





BRASIL, Sudeste, ILHA COMPRIDA, BALNEÁRIO SÃO MARTINHO, Homem, de 36 a 45 anos, Esportes, Informática e Internet
MSN - valefutebol@hotmail.com





     
     




    ArenaFC.com
    GAZETA ESPORTIVA
    LANCE
    PELÉ.NET
    CIDADE DO FUTEBOL
    GUIA DA ILHA COMPRIDA
    DRIBLE
    EU SOU VITÓRIA!
    FUTEBOL NA REDE
    ANÁLISE DO FUTEBOL
    FUTEBOL NOTA 10!
    CAMPEÕES DO FUTEBOL
    MUNDO DO FUTEBOL
    FANÁTICOS POR FUTEBOL
    ATLÉTICO MINEIRO
    OLÉ DOS CRÍTICOS
    VALDIR ESPINOSA
    Blog do Luxemburgo
    Instituto Vanderlei Luxemburgo
    Meu Twitter
     
     

    Dê uma nota para meu blog